UMN

Caracterização da 6ª Região Académica

  

A Sexta Região Académica abrange as províncias da Huíla e Namibe com Sede na Cidade do Lubango capital da Província da Huíla.

Em termos geográficos, a Província da Huíla localiza-se na região sudoeste de Angola e, situa-se entre os 13º10ʹ S e os 16º20ʹ S, de latitude; o os 13º10ʹ E e os 16º45ʹ E, de longitude. Faz fronteira com as províncias de Benguela e Huambo a Norte; a do Cunene a Sul, as do Bié e Cuando Cubango a Este e a do Namibe a Oeste. O espaço que a província ocupa no sul de Angola tem uma enorme importância geoestratégica para toda a região pois, esta ocupa ima faixa que lhe permite fazer a transição entre a faixa litoral e consequente acesso ao mar (e porto do Namibe) e, o interior do sul de Angola.

Huíla tem cerca de 1.500 mil habitantes, e é a segunda província mais populosa de Angola depois de da capital Luanda tem uma dimensão de 79.022 km². A sua capital é a cidade do Lubango. É constituída por 14 municípios: Caconda, Cacula, Caluquembe, Chiange, Chibia, Chicomba, Chipindo, Cuvango, Humpata, Jamba, Lubango, Matala, Quilengues e Quipungo.

A população original da área compunha-se de khoisan, dos quais ainda existem pequenos grupos remanescentes. Os khoisan foram marginalizados por povos de pastores ou de agro-pastores de diversas proveniências e que hoje constituem uma variedade de etnias. As etnias agro-pastoras fazem parte do grupo relativamente heterogéneo dos Nhaneca-Humbe, com destaque para os mwila, que são os mais numerosos e de cujo nome o planalto e a província da Huíla derivam as suas designações. De entre as etnias pastoras, os kuvale têm o peso maior.

Huíla conta com a existência de uma rede escolar que funciona em toda a província e comporta um total de cerca de 1 300 escolas do I, II, III níveis, 4 institutos de ensino médio, 4 centros de formação profissional, a Universidade Mandume Ya Ndemufayocom e Institutos Superiores Privados.

A província do Namibe (antiga Moçamedes) situa-se no litoral sul de Angola, sendo limitada a norte pela província de Benguela, a leste pela província da Huíla, a oeste pelo oceano Atlântico, a sul pelo rio Cunene e pela República da Namíbia.

Tem uma área aproximada de 57.091 km2 e uma fronteira marítima atlântica de cerca de 480 km.

A sua capital é a cidade de Namibe, a qual fica a 1.234 km de Luanda e a 225km de Lubango. A cidade foi fundada em 1840 e, até 1985, teve o nome de «Moçâmedes».

Tem o terceiro maior porto de Angola, depois de Luanda e Lobito. É também o terminal do caminho-de-ferro do Namibe.

O símbolo desta província é a planta Welwistchia Mirabilis.

O clima é de uma maneira geral temperado, embora com algumas nuances: temperado húmido ao longo do litoral, tropical de altitude, apresenta vastas regiões desérticas e semidesérticas em grande parte do território. Tem duas estações: a das chuvas, que vai de Outubro a Abril, e a estação seca (cacimbo) nos restantes meses do ano.

           No Deserto do Namibe, uma das mais importantes fontes de humidade consiste em neblinas e nevoeiros que provêm do mar e que, durante a noite, penetram dezenas de quilómetros terra adentro: as águas da Corrente Fria de Benguela interagem com o ar quente e originam o nevoeiro - um nevoeiro que representa vida porque contribui para a sobrevivência das inúmeras pequenas criaturas das dunas.

A língua nacional mais falada é o português. Os grupos étnicos em maioria são os Nhaneca-Humbi e Herero.

Os bosquimanes (Khoisan) estão presentes em pequenas comunidades nesta região de Angola.

Minérios: ouro, cobre, manganês, cromo, estanho, lenhite e muito mármore. Agricultura: mandioca, bata doce, batata do Reno, citrinos, oliveira, videira, goiabeira, massango. Pecuária: ovinos, caraculo, caprinos. A pesca é outro meio de sustento para o povo do Namibe. O maior centro piscatória da província é cidade do Tômbua, a qual fica a 93 km da cidade do Namibe. A zona piscatória do Namibe, é a mais importante do país, representando mais de 65% de toda actividade pesqueira. Com cerca de 480 km lineares de orla marítima, é rica em recursos piscatórios muito diversificados, exibindo um potencial natural de crustáceos em que se destacam o caranguejo, mexilhão e amêijoa.

Há ainda a extracção de sal e de pedras ornamentais.

O aeroporto e o Porto Comercial, são as duas forças que associam-se ao transporte rodoviário para a importação e exportação dos produtos.

A vegetação predominante nesta região é o Deserto, aqui já em estepe povoada de pequenos arbustos. Destaca-se a formosa planta exótica Welwitschia Mirabilis.

O Namibe oferece aos seus visitantes esplêndidas praias e interessantes zonas para a prática  de desporto, nomeadamente a pesca submarina. As praias mais conhecidas são as das Miragens, Praia Azul, Praia Amélia, Praia das Barreiras e Praia dos Flamingos.


 

Contactos

  • Telefone:  261 225 041

Newsletter

Início Úteis Caracterização da 6ª Região Académica